quarta-feira, 27 de julho de 2011

DIA NACIONAL DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES DE TRABALHO


Você sabia que o Brasil foi o primeiro país a ter um serviço obrigatório de segurança e medicina do trabalho em empresas com mais de 100 funcionários? Este passo foi dado no dia 27 de julho de 1972, por iniciativa do então ministro do trabalho Júlio Barata, que publicou as portarias 3.236 e 3.237, que regulamentavam a formação técnica em Segurança e Medicina do Trabalho, atualizando o artigo 164 da CLT. Justamente por isto, a data foi escolhida para ser o Dia Nacional de Prevenção de Acidentes de Trabalho.
Mas afinal, o que é acidente de trabalho? Sua empresa tem cuidado das questões relacionadas à prevenção?
Acidente de trabalho é aquele que acontece durante o serviço, ou no trajeto entre a residência e o local de trabalho, que provoque algum tipo de lesão corporal ou perturbação funcional ou que resulte em morte (bate na madeira três vezes), perda ou redução da capacidade para o trabalho. Acidentes de trabalho consideram também as doenças ocupacionais, sejam em caráter permanente ou temporário.
Para avaliar se sua empresa pode ser responsabilizada em casos de acidentes em seu próprio local de trabalho, você deve acompanhar alguns fatores relacionados ao seu próprio negócio, afinal o grau de responsabilidade do empregador é relativo. Afinal, se você oferece equipamentos de proteção individual (EPIs), mas seu funcionário abre mão de utilizados, você nãp pode arcar sozinho pela responsabilidade em caso de acidentes. A punição dependerá da situação e do tipo de acidente.
Por isso, mantenha atualizado seu Plano de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA), contemplando relatórios de treinamento de funcionários, uso correto de equipamentos de segurança, realização de exames médicos periódicos, acompanhamento dos serviços realizados, entre outras informações que considerar importante.
Muitos profissionais trabalham em condições perigosas à sua integridade e nem sabem, e em alguns casos nem mesmo o empregador tem ciência desses riscos.
De acordo com a Secretaria de Segurança e Saúde do Ministério do Trabalho configuram-se riscos as seguintes situações/ elementos:
- os agentes físicos: ruídos, vibrações, pressões anormais, temperaturas externas, radiações ionizantes e não ionizantes;
- os agentes químicos: poeira, fumo, névoas, neblinas, gases e vapores;
- os agentes biológicos: vírus, bactérias, fungos, parasitas.
Pense no dia de hoje como uma excelente oportunidade para que gestores e funcionários discutam o assunto "segurança no trabalho". Se tudo estiver de acordo com normas e procedimentos padrões, amplie a discussão para aspectos relacionados também à qualidade de vida de seus funcionários.
Recentemente, uma pesquisa realizada pela empresa CPH HEALTH revelou que 49% dos funcionários das empresas brasileiras estão em significativo nível de estresse. Isso mesmo, quase metade dos trabalhadores brasileiros sentem-se estressados.
O levantamento, feito com 194.000 empregados de 200 organizações, mostrou também que 76% deles praticam atividade física insuficiente, 68% trabalham sentados a maior parte do dia, 48% têm elevado nível de ansiedade e 45% estão acima do peso ou obesos.
É claro que não cabe ao empreendedor a responsabilidade sobre isso, mas se você pensar que estes números podem aumentar o absenteísmo ou licenças médicas desnecessárias perceberá que vale a pena o investimento em questões relacionadas à saúde de seus funcionários.
Hoje, grande parte das pessoas que passam por problemas leves de saúde preferem ir trabalhar mesmo doentes, prejudicando a produtividade da sua empresa, além é claro, de criarem maiores riscos para os acidentes do trabalho. E se um colaborador que não dormiu corretamente a noite, perder o controle do carro da empresa em um deslocamento rumo ao atendimento a determinado cliente?
Para evitar que a produtividade seja afetada, as empresas devem ter em mente que a PREVENÇÃO é regra número 1 para um ambiente saudável de trabalho, e o primeiro passo é realizar uma boa gestão da saúde dos funcionários. Isso significa incentivar bons hábitos e alimentação, ficar atento aos comportamentos negativos, conhecer melhor as pessoas e saber em que situação está a saúde da sua equipe.
Aliado a tudo isso, programas de Qualidade de Vida internos tornam-se aliados importantes para que as empresas previnam acidentes do trabalho entre seus funcionários, e criem meios para melhorar e humanizar o ambiente corporativo, o que torna a todos pessoas mais saudáveis, respeitadas, motivadas e produtivas.
E não esqueça: você também faz parte dessa equipe.
Cuide-se!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário.
Ficarei feliz em conhecer sua opinião...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Preferidos do Lounge Empreendedor