segunda-feira, 2 de maio de 2011

PARADIGMA


Alguns termos costumam fazer história quando o assunto é gestão de negócios. Paradigma é um deles. O “efeito-paradigma”, que impede pessoas e empresas de aproveitarem oportunidades ou as impulsiona a repetirem velhos modelos para solucionar novos problemas, é cada vez mais discutido entre gestores e empreendedores.
Thomas Kuhn, um físico norte-americano, em 1962 já falava sobre o assunto. Ele argumentava que paradigmas científicos reuniam informações que limitavam o território de pesquisa procurando as mesmas soluções para problemas enfrentados pela ciência. E pior: se essa solução repetida surtisse efeito, ela reforçava a crença neste paradigma estabelecido.


Mas então, qual é o problema com relação ao “efeito-paradigma”, se a solução repetida traz resultado positivo?
Quando um paradigma é exigido até o seu limite, a incapacidade de resolver os problemas mais atuais começa a acumular. Não há resposta que dure para sempre.
Paradigmas filtram novas experiências e levam as pessoas a ver o mundo, o tempo todo, sob a mesma perspectiva. São eles que influenciam sensivelmente suas decisões e podem bloquear a criatividade e inovação em seu negócio.
Por tratar-se de um conjunto de regras, regulamentos ou padrões nem sempre reconhecíveis racionalmente é comum que ao se deparar com uma nova situação, o cérebro faça um filtro sobre o que melhor se adapta às suas regras e padrões e ignore o resto. Tal efeito pode cegar empresários com relação a novas oportunidades, fazer com que vendedores não percebam novos mercados ou gerentes não considerem formas mais eficazes de administrar negócios e pessoas.
Se você tem mais de 40 anos, certamente lembra-se de Gabriela, Cravo e Canela. Os versos cantados por Maria Bethânia traziam em um tom brejeiro a crença de que só pode haver um modo de viver e de ver o mundo, afinal dizia assim: eu nasci assim, eu cresci assim, e sou mesmo assim, vou ser sempre assim... Gabriela... sempre Gabriela”
Tenho certeza que você já se deparou com empresários que falam, pensam e agem exatamente dessa forma. Quantas vezes você mesmo repetiu o discurso: “em time que está ganhando, não se mexe”?
Pois, eu lhes digo: para uma empresa continuar a crescer é necessário passar por mudanças. Para um profissional ascender em sua carreira também. Com tantas mudanças ocorrendo no mundo afora, insistir em querer fazer tudo igual, sem chance de abrir uma possibilidade para o novo pode ser um perigo muito grande.
Nos anos 40, um professor americano, Chester Carlson, apresentou à IBM e General Electric sua nova invenção: uma “geringonça” que tirava cópias de documentos. Em plena ascensão, IBM e GE rejeitaram sua idéia, que foi aceita pela Xerox. Resultado: criou-se um mercado bilionário de copiadoras e boas empresas perderam boas oportunidades. Isto sem contar casos como da Apple, 3M ou do cinto de segurança “three-point” da Volvo. Experiências que transformaram as trajetórias destas empresas e mostram como uma nova visão ou uma nova explicação para velhos problemas podem revolucionar a compreensão do próprio negócio.
Portanto, se um paradigma pode aumentar sua confiança e conforto na tomada de uma decisão; o medo de dar errado, arriscar ou não ser aceito pode impedi-lo de conquistar novos desafios. Se você deseja conhecer novos mundos, precisará abandonar velhos mapas.

ANA MARIA MAGNI COELHO
Publicado em O Diario de Mogi
28 de abril de 2011

3 comentários:

  1. Ótimo tema, adorei! Precisamos mesmo sair do quadrado e enfrentar os desafios!

    ResponderExcluir
  2. Ana Maria parabéns pelo post. Claro e direto. Acredito que regras e padrões são necessários,pois é possível mensurar muita coisa por meio deles. E isso, com certeza aumenta a confiança em alguns processos. Esse ciclo pode ser razão pela qual os paradigmas são criados. Vejo que os paradigmas saem dos processos e se instalam nas pessoas e em suas redes sociais, conhece ou sabe se existem meios ou alguma técnica que suplante os vícios e elimine a solidificação de paradigmas? Seria ótimo ver alguns paradigmas dissolvidos...

    ResponderExcluir
  3. Ana Maria, de verdade nada acontece por acaso! Exatamente hoje estava conversando sobre repetição de padrões, dificuldade de mudança, rever paradigmas, ou como ouvi uma vez do pedro Mandele - purpurinar! Ou seja se soltar, abrir as mãos repletas de purpurina, ver o pó esvoaçar e, ainda assim, ser capaz de continuar com o brilho nas mãos!!!
    Adorei o trecho:
    "Paradigmas filtram novas experiências e levam as pessoas a ver o mundo, o tempo todo, sob a mesma perspectiva. São eles que influenciam sensivelmente suas decisões e podem bloquear a criatividade e inovação em seu negócio."

    Adorei vir aqui hoje! obrigada Sandra portugal
    http://projetandopessoas.blogspot.com//

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário.
Ficarei feliz em conhecer sua opinião...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Preferidos do Lounge Empreendedor