segunda-feira, 4 de abril de 2011

PROFESSORES EMPREENDEDORES

Nelson Almeida - Agência Luz
Se você acompanha o Lounge Empreendedor, sabe da minha paixão pela mistura Empreendedorismo + Educação.
Já publiquei vários textos sobre o assunto e tenho absoluta certeza que esse é o caminho mais certeiro para uma transformação real na cultura do emprego no Brasil.
Pensando nisso, há 2 anos eu esperava viver as emoções e conquistas que o programa de Educação Empreendedora vem me trazendo em Mogi das Cruzes.
Estamos no meio de uma iniciativa pioneira ao capacitar, em um curto período e de forma simultânea, todos os professores da rede municipal de ensino.
Creio que trabalhar o ensino do empreendedorismo de forma transversal, levando aos alunos não apenas teoria, mas também a contextualização com a sua realidade é a possibilidade para gerar mudanças efetivas em seu comportamento no futuro e de causar influência direta em suas próprias famílias no presente. Quem nunca ouviu falar em crianças influenciando diretamente seus pais, avós, padrinhos ou vizinhos?
Com o programa Jovens Empreendedores Primeiro Passos, espero vê-las desenvolvendo seus sonhos e metas para que possam conquistar novo espaços no cenário nacional. E espero também que os professores tenham a oportunidade de desenvolver novas competências, não apenas enquanto durar a capacitação, mas em suas próprias vidas.

Esmeralda Rodrigues, 45 anos, é professora há mais de 20 e atualmente leciona em uma escola municipal do bairro Novo Horizonte, em Mogi das Cruzes. 
Esmeralda Rodrigues
Foto: Nelson Almeira / Luz
Ela começa a se preparar para um novo desafio profissional quando a partir do segundo semestre de 2011, levará a seus alunos, além do conteúdo tradicional, noções de comportamento e cultura empreendedora. Na visão da professora Esmeralda, que gostou do primeiro dia de curso, não se trata de ensinar à garotada como abrir um negócio altamente lucrativo ou a ganhar mais dinheiro do que trabalhando como empregado no setor público ou privado. “Pelo que percebi, o conteúdo que vamos trabalhar tem mais a ver com uma mudança de comportamento. O aluno não só aprenderia, desde cedo, que é possível planejar e desenvolver um empreendimento próprio, mas também a ganhar maior autonomia e controle sobre a própria vida. Um exemplo seria estimular o cultivo de verduras no quintal de casa, para consumo da família, utilizando tempo e espaço que provavelmente estavam ociosos”, afirma.
É isso mesmo, Esmeralda!!! Cidadãos mais autônomos no futuro! 


Maria Vitória Lopes
Foto: Nelson Ameida / Luz

Maria Vitória Lopes, 46 anos, professora nos bairros de Varinhas e Jardim Santos Dumont, vai mais adiante: “acho que poderemos levar às crianças uma orientação positiva, que, na contramão do consumismo desenfreado de hoje, mostre que é importante saber fazer reservas e gerenciar recursos. Penso que isso tem a ver com empreender de forma consciente, consumir de forma consciente e pensar em negócios que não sejam apenas lucrativos, mas sustentáveis”.
Uau, Vitória! Será lindo perceber nas crianças mogianas tamanha transformação.


Maria Geny
Foto: Nelson Almeida / Luz
 Para a  secretária de Educação de Mogi das Cruzes, profª Maria Geny Borges Ávila Horle, a iniciativa vai além de uma iniciativa pontual, por isso vinha sendo discutida desde 2009 para que fosse implantada com responsabilidade. A cidade já tem, inclusive, um decreto municipal que prevê a aplicação do empreendedorismo em toda a rede de ensino fundamental municipalizada, o que abrange 77 escolas, 486 profissionais e um universo de 16,7 mil alunos do primeiro ao quinto ano e a mais 460 estudantes da EJA (Educação de Jovens e Adultos).

Tem como não dedicar o coração a uma causa como essa?

15 comentários:

  1. Maravilha Ana, esse mistura empreendedorismo + educação é sem sombra de dúvidas uma mistura muito nutritiva para o desenvolvimento social e econômico.

    Transformar professores em agentes de fomento da cultura empreendedora é um trabalho que deveria ser realizado em toda e qualquer escola brasileira.

    Você é realmente uma das melhores cabeças do empreendedorismo brasileiro... parabéns e continue assim, a cultura empreendedora agradece... e muito!

    Saudações empreendedoras,

    @brunobezerra

    ResponderExcluir
  2. Bruno,
    Agradeço seu carinho e respeito sempre!
    O programa de Educação Empreendedora vem sendo amplamente discutido pelo SEBRAE em todo o país a fim da construção de uma agenda conjunta com as instituições de ensino.
    Todo o esforço é bem-vindo para ampliarmos a discussão para todas as regiões (http://www.agenciasebrae.com.br/noticia/11712911/geral/sebrae-discute-empreendedorismo-com-universidades-no-rio/)
    Em São Paulo, o programa tem soluções educacionais para cada nível de ensino: Jovens Empreendedores Primeiros Passos (Ensino Fundamental I e II), Formação de Jovens Empreendedores (Ensino Médio Regular e Médio Técnico) e Sebrae no Campus (Ensino Superior).
    Sinceramente, não tenho a menor dúvida da sua força para o desenvolvimento social e econômico do nosso país.
    Novas visões se desenvolvem a partir dos bancos das escolas...
    Saudações empreendedoras a você também!
    Sucesso ;-)

    ResponderExcluir
  3. Olá, Ana Maria, parabéns aos envolvidos. Realmente, a base de tudo é a educação. Hj me deparei com duas boas informações que, com certeza, apoiam e direcionam os jovens - e os não tão jovens assim - na iniciação de empreendimentos no ambiente digital. Uma é o ebook "Geeting Real" Caindo na Real, da 37signals em português em uma tradução coletiva. http://gettingreal.37signals.com/GR_por.php. A outra é o uso de mapas mentais, numa explicação de Tony Buzan que infelizmente encontra-se em inglês aqui: http://www.youtube.com/watch?v=HyJrrUIocUI. Veja que ele faz uma palestra pra estudantes de Hong Kong.
    Espero que esses exemplos ajudem a inspirar os educadores e os agentes de transformação do nosso país.
    um abraço,
    @grillojotae

    ResponderExcluir
  4. Muito bonito o trabalho. Parabéns a todos os envolvidos. Desejo muito sucesso.
    BEijos,ALine

    ResponderExcluir
  5. A cultura empreendedora com certeza faz uma sociedade ser melhor. As pessoas ganham mais autonomia e responsabilidade em suas próprias vidas, não esperam governos ou outros patronos fazerem por elas. Esse projeto, inserindo o empreendedorismo na educação, funciona também como inclusivo, dando perspectiva diferente aos envolvidos, alunos e professores. Se daí saírem empreendimentos de sucesso, melhor ainda, para todos. Abraços!!!

    ResponderExcluir
  6. O discurso é antigo, as mudanças devem começar pela educação. Vejo que há um despreparo e uma falta de vontade de muitos professores em buscar atualizar a forma de ensinar. Espero que estes que participaram dessa capacitação possam realmente formar mais do que bons alunos, mas cidadãos conscientes de seu papel. Mas, a função só é exclusiva dos professores, nós, como pais temos o papel principal. Bom trabalho a todos!

    ResponderExcluir
  7. Ana, como educadora, empreendedora e sua admiradora, não poderia deixar de apoiar essa iniciativa.

    A escola é na minha opinião o terreno mais fértil para o plantio de novas ideias e modelos sustentáveis. Me lembro da minha primeira aventura empreendedora aos 14 anos, quando vendia bombons que eu mesma fabricava na escola... rs.

    Muito sucesso com os projetos em Mogi, e que a paixão dos envolvidos esteja sempre viva!

    Beijos,
    @therezabukow

    ResponderExcluir
  8. Grillo,
    Suas dicas foram um presente para quem vem trabalhando na meta de oferecer conteúdo relevante na web.
    (Além de evidenciar minha urgente necessidade de colocar o inglês em dia)
    Um abraço e obrigada pela visita!
    Sucesso

    ResponderExcluir
  9. Cris, você pegou exatamente a essência da proposta!
    Negócios futuros são uma consequências de uma atitude mais empreendedora com a vida! Autonomia, responsabilidade e protagonismo estão nesse caminho.
    Um beijo e Sucesso!

    ResponderExcluir
  10. Val,
    Nem me fale em tempo de um discurso tão necessário e que precisa de espaço para se transformar em prática.
    Você conhece bastante desta jornada e concordo quando você coloca os pais como parte principal dessa mudança de visão.
    Não adianta fomentarmos uma cultura mais empreendedora se nos assustarmos quando as crianças desejarem "vender gelinho na garagem de casa" ou se as incentivarmos a uma carreira de estabilidade e sem riscos.
    A turma de Jovens Empreendedores precisa estar pronta para buscar informações, farejar boas oportunidades, confiar em si mesma, planejar aquilo que faz, fazer bons amigos, cumprir seus compromissos e fazer tudo sempre bem feito.
    E isso, sem desistir pelo caminho, pois sabem onde querem chegar, certo?!?
    Um beijo para você e para sua família
    Sucesso!

    ResponderExcluir
  11. Thereza,
    Olha só onde essa venda de bombons foi te levar, hein!!!
    Aquilo que pode parecer apenas uma aventura tem todo o potencial para formar grandes pessoas. Você é um exemplo!
    O BolsaCheia.com é um excelente exemplo de como um processo de educação pode transformar a realidade.
    Um beijo e obrigada pela visita!

    ResponderExcluir
  12. Parabéns Ana. Acredito que precisamos de atitudes como essas, capazes de mostrar ao professor a necessidade da expansão de conteúdo, voltado à prática do cotidiano, como também , promover o incentivo ao estudante a expandir seus horizontes e vislumbrar um futuro que começa a ser construídom com essas aulas e podem terminar numa bem sucedida empresa. Não conheço muito bem o empreendedorismo, até porque nunca tive um contato mais próximo com o assunto,preciso fazer minha parte e pesquisar, aceito sugestões. Quando observamos uma mudança na prática do ensino fundamental e médio com conteúdo transformador dando certo, isso corrobora com minha atitude de crença na educação como fundamento da mudança social é possível e basta atitudes simples como a que se apresenta no artigo. Parabéns e boa sorte, conte-nos novidades do futuro desta ação. Bjs Ana @anamodesto

    ResponderExcluir
  13. Oi Anamaria
    Mais do que entender sobre empreendedorismo, o melhor é vivê-lo em comportamentos e ações.
    Uma atitude empreendedora nem sempre desencadeia um novo negócio, mas certamente abre novas possibilidades.
    Leia "A Escola dos Deuses", você vai gostar! Aborda bem esse conceito de atitudes transformadoras.
    Sobre o empreendedorismo clássico, "A arte do começo" de Guy Kawasaki é leitura obrigatória; e gosto também de "Empreendedorismo: Dando Asas ao Espírito Empreendedor" do Chiavenato e "Inovação e Espírito Empreendedor" de Peter Drucker.
    De qualquer forma, nosso papo continua em processo de "namoro". Vamos levar essas conversar para fora da web.
    Um beijo e sucesso!

    ResponderExcluir
  14. Olá Ana Maria,

    Excelente seu trabalho. Complementando os exemplos que você cita no texto é de fundamental importância trabalhar conceito de empreendedorismo nas crianças e jovens porque eles são incentivados ao consumismo pelas diferentes mídias, porém não são orientados sobre os requisitos obrigatórios para que se possa consumir. Desde pequenos pedem as coisas sem nunca lhes ser trabalhado que para se consumir é preciso ter dinheiro e que para se ter dinheiro é preciso trabalhar. Se as crianças desde cedo tiverem noções de empreendedorismo teremos adultos bem estruturados com grandes chances de se tornarem bem sucedidos.
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  15. Muito bom seus textos,a maneira como aborda o empreendedorismo na educação,o que de fato ajuda alguns professores,assim como eu, a saber e criar alternativas para dá essa matéria que vem abrindo espaço nas escolas.
    E por esse motivo,lhe peço umas dicas para dá uma aula dinâmica,e que os alunos possam se prender ao empreendedorismo.
    Abraço!

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário.
Ficarei feliz em conhecer sua opinião...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Preferidos do Lounge Empreendedor