quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

MOTIVAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS


Recentemente, fui procurada pelo jornal MogiNews para responder algumas questões relacionadas à manutenção da motivação e engajamento das equipes após o período de férias coletivas... Foram tantas respostas, boas reflexões e por isso, resolvi compartilhar com vocês a integridade dessa "conversa".
Aproveitem e depois me digam o que acharam. Afinal, não tenho como saber que você passou pelo Lounge Empreendedor se você não me contar o que tem achado... 

Motivação e início do ano para as equipes

1. Muitas empresas deram férias coletivas aos seus colaboradores, englobando o fim e o início do ano. Como aproveitar o retorno deles e motivá-los para um novo ano?
O passo inicial deve passar por perguntar sobre o que motiva a equipe! Motivar é trabalhar nas alternativas do ambiente, ou seja, da própria empresa, para que ela ofereça motivos suficientes para que os colaboradores façam mais e melhor aquilo que deve ser feito.
Existe um ditado que diz: "Você pode levar seu cavalo até o rio, mas ele só vai beber água se ele quiser beber". Motivar é isso, é levar esse cavalo até o rio, sabendo que a quantidade de água que ele beberá irá depender dele.
As pessoas funcionam de maneira diferente e para manter uma equipe motivada durante todo o ano é fundamental que o empregador ou líder entenda e ofereça significados reais a cada um. David McClelland, um estudioso do empreendedorismo e motivação afirma que as pessoas se motivam por sentimentos como sucesso, afiliação e poder. E tais escolhas estão diretamente relacionadas aos seus próprios significados pessoais. Motivação é interna e não externa. Caberá ao líder se dedicar a conhecer (muito bem) sua equipe.
Quem se motiva pelo sucesso costuma ter um interesse recorrente em fazer as coisas melhor, ultrapassando padrões de excelência nas suas atividades. Gostam de assumir responsabilidade pessoal por aquilo que realizam, precisam de autonomia, tomam iniciativas e reagem positivamente à competição.
Já o perfil afiliativo representa um interesse recorrente em estabelecer, manter ou restaurar relações afetivas positivas entre as pessoas, sejam clientes ou os próprios funcionários da empresa. Gostam de manter redes de relações interpessoais, tendem a ser mais cooperativos e a importar-se mais com os desejos de outros.
Aqueles com motivação voltada ao poder costumam ter interesse no impacto que geram sobre as pessoas, em como afetar os seus comportamentos e emoções. Procuram controlar ou influenciar as outras pessoas, assumem riscos e são os mais ligados ao dinheiro.

2- Qual a importância de motivar um funcionário tanto para a empresa, que ganhará na sua produção, faturamento e crescimento, quanto para o próprio colaborador?
Se assumirmos a premissa de que as pessoas são um dos principais diferenciais competitivos que uma empresa pode ter na era do conhecimento manter a equipe motivada é fundamental.
Embora não haja indicadores tangíveis de mensuração, cada dia é mais visível a relação entre equipe e desempenho. A questão da motivação tem relação direta com o clima organizacional, que por sua vez impacta na produção, faturamento, atendimento e crescimento das empresas. Equipes de primeira geram resultados de primeira. Equipes medíocres geram resultados medíocres. Não consigo pensar em cálculo aritmético para comprovar esse resultado, pois lidar com pessoas não é como calcular o ponto de equilíbrio de um negócio. Entretanto, quanto mais sinergia e maturidade uma equipe possuir, maior será sua capacidade de gerar resultados positivos ao negócio.

3- Quais as principais ações adotadas pelas empresas sobre motivação?
Não existe uma receita de bolo que sirva para todas as empresas. O sucesso de um trabalho motivacional depende muito mais do tempo e dedicação do empreendedor ou da liderança do que de fatores externos.
Enquanto para alguns um fator motivador pode ser um aumento no salário ou o status de um novo cargo, para outros, isso pode não ter relevância nenhuma. 
Por isso, não adianta buscar padronizar os colaboradores com programas e prêmios de incentivo. É preciso oferecer significado. O objetivo está em criar nas pessoas um senso de propriedade, envolvendo-as nas decisões da empresa, nos processos e na definição de estratégias e dessa forma, elas também se sentirão mais próximas metas da empresa.
Se todos trabalharem pelo mesmo objetivo, desenvolvendo suas atividades com paixão e tendo comprometimento com a realização de uma tarefa será muito mais fácil obter bons resultados e mantê-los motivados.
O importante é entender que esse momento dependerá muito no nível de maturidade das pessoas e da própria empresa. Costumo dizer que para “vestir a camisa”, as pessoas precisam se sentir confortáveis dentro dela; é preciso que haja identificação com a “cor, tamanho e tecido” que a camisa oferece.

4- Quais as táticas para uma empresa motivar um funcionário?
O trabalho de motivação deve começar pela capacidade dos gestores em analisar sua própria motivação, além da motivação dos seus colaboradores. Estes dois universos são intimamente ligados: um líder/empreendedor desmotivado só pode dar origem a uma equipe também desmotivada.
A partir dessa análise, acredito que toda tática voltada a motivação passam por questões similares: COMUNICAÇÃO, CONFIANÇA, RESPONSABILIZAÇÃO (ou EMPODERAMENTO), LIDERANÇA E AMBIENTE.
Sem uma comunicação ativa é impossível manter o nível de envolvimento dentro das suas empresas. A comunicação empresarial deve passar desde as questões do cotidiano até as deliberações estratégicas da organização (missão, visão, valores e metas).
Além disso, para que os colaboradores estejam motivados, eles devem sentir que dispõem de seu próprio espaço de ação e que contam com a confiança de seus superiores e pares.
Confiança que deve vir acompanhada pela responsabilização permitindo que cada colaborador possa identificar seus papéis e suas obrigações. 
O que não significa que o trabalho nunca possa mudar. Não há nada pior para a motivação do que a falta de perspectiva.
Por isso, um líder presente, disposto a conhecer as pessoas para além de suas competências técnicas, com senso crítico e firmeza de propósito é capaz de engajar as pessoas e transmitir um “novo ar” no ambiente por meio de projetos inovadores e desafiantes. Estas impulsões ajudam à estimular o grupo e à renovar as motivações.
Vale lembrar que não há “receita de bolo” e que ainda que existam questões similares, estimular a motivação de um funcionário passar diretamente pela capacidade de entendê-lo.

5- Motivar um funcionário requer investimentos altos ou com pequenas ações já é possível? Liste algumas.
Esse é um paradigma que precisa ser vencido. É possível criar um ambiente muito positivo com baixos investimentos: reuniões com a equipe com a utilização de vídeos e debates em grupo (existem vários no youtube); desenvolvimento de uma cultura organizacional que funcione como uma rede de apoio ao desenvolvimento dos colaboradores, jornada de trabalho flexível, teletrabalho, benefícios indiretos como convênio com universidades ou creches, autonomia e independência, participação nos lucros, horas disponibilizados para trabalho voluntário, ações de qualidade de vida, treinamentos, plano de carreira, etc.
Uma boa dica é sondar o mercado para entender que tipo de ação vem sendo realizada no mesmo segmento de negócio e não se limitar ao que der certo na primeira vez. As iniciativas devem ser continuamente revistas e aperfeiçoadas a fim de manter a equipe motivada e comprometida e contemplar os níveis de maturidade do próprio grupo.

6- As empresas têm consciência hoje sobre a importância desse item? Explique.
Tenho visto muitos gestores preocupados com a questão motivacional de suas equipes, em vários segmentos e portes de organizações. Seria tudo mais fácil se pudessem simplesmente clicar com o botão direito na sua equipe, selecionar a opção “Incrementar motivação”, e pronto. Mas as empresas já perceberão que não é assim.
Muitas assumiram o conceito de que é melhor prevenir do que remediar questões motivacionais e ampliaram sua percepção sobre a importância dos relacionamentos, processos e resultados positivos.

7- Quais as consequências para a empresa de um colaborador desmotivado?
A motivação é um processo, não um evento isolado. É consequência e não causa.
Se há alguém desmotivado, a empresa deve assumir o desafio de transformar a situação, pois do contrário, certamente ela enfrentará problemas que passam pela influência negativa no ambiente, absenteísmo, alta rotatividade e até o consequente não cumprimento das metas da empresa.

Ana Maria Magni Coelho
Coach e Consultora em Gestão Empresarial

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário.
Ficarei feliz em conhecer sua opinião...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Preferidos do Lounge Empreendedor