sábado, 2 de outubro de 2010

UNANIMIDADE

"Toda unanimidade é burra"
Nelson Rodrigues
“Toda unanimidade é burra”, dizia Nelson Rodrigues. Ouso acrescentar que, além de burra, pode ser perigosa. Seja ela contra ou a favor de qualquer idéia.
A palavra unanimidade vem do latim unanimis. Significa que duas ou mais pessoas vivem com um (unus) só ânimo (animus). Não haveria problema se esse ânimo estivesse apenas relacionado ao objetivo de uma equipe de trabalho ou aos sonhos e propósitos de um casal.
Entretanto, buscar a unanimidade como consenso absoluto em todas as questões pode ser um artifício perigoso para manipulação de um povo com preguiça de pensar.
Frases de efeito como as de Nelson Rodrigues despertam boas discussões e revelam na unanimidade o esforço autoritário para inibir a criatividade e enterrar a capacidade crítica e reflexiva do ser humano.
A burrice vem de pessoas despreparadas e inconseqüentes que não gostam de debater determinados assuntos e não aceitam opiniões contrárias às suas, numa clara atitude de superioridade diante de sua condição.
Unanimidade deveria ser a última busca de qualquer dirigente, seja de uma empresa ou de um país. Instituí-la como verdade pode levar uma comunidade a acomodação e a ilusão de que tudo está em ordem, quando na verdade não está. Uma zona de conforto superficial onde o risco de ser surpreendido por acontecimentos desastrosos pode ser irreversível.
É burrice adotar cegamente a opinião pública, os dogmas, as ordens, as convenções ou tradições que vêm não se sabe de onde e com quais finalidades. É burrice optar por um curso apenas pelo status que ele oferece ou ler a lista completa dos livros mais vendidos se você não puder evoluir e se desenvolver com eles.
Reconhecer que idéias prontas podem ser falhas é um passo importante para não parar no tempo e para refazer a história da sua vida, empresa ou país.
O filósofo alemão Theodor Adorno comparava qualquer estado de paralisia à burrice. Se o corpo é paralisado por um ferimento físico, o pensamento é paralisado pelo medo daquilo que parece novo. A simples repetição de qualquer modelo ou ideologia gera uma deformação relativa à capacidade de pensar e de criar de uma nação. Quem apenas repete o passado não pode inventar nada.
E convenhamos: nenhuma experiência pode ter sido tão boa ou tão negativa a ponto de tornar um ser humano burro. Burrice não é apenas pensar errado, mas pensar com inibição e conforto.
Sejamos unânimes inteligentes! A unanimidade inteligente pressupõe a liberdade de distinguir entre o nosso direito de questionar e o nosso dever de assumir a responsabilidade pela transformação que desejamos ver.
Quem segue na unanimidade alheia enxerga o mundo sob as lentes distorcidas de uma miopia que não lhe diz respeito.

Pense nisso amanhã!


ANA MARIA MAGNI COELHO
Publicado no Caderno Opinião - MogiNews
02 de outubro de 2010

2 comentários:

  1. Esse texto não poderia ser postado em momento mais oportuno, só mesmo uma sensibilidade empreendedora como a de Ana Maria Coelho para nos brindar com uma bela oportunidade de reflexão.

    Saudações empreenderoras e um fraterno abraço,
    BrunoB

    ResponderExcluir
  2. Bruno
    Seus comentários são sempre um impulso para me manter no caminho do fomento ao empreendedorismo no nosso país.
    Obrigada e sucesso!
    Que possamos encontrar um caminho inteligente no domingo, 03 de outubro.
    Saudações
    Ana Maria

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário.
Ficarei feliz em conhecer sua opinião...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Preferidos do Lounge Empreendedor